Trabalhadora Sexual cria nova categoria NSFW: o ‘Spite Porn’

A indústria da pornografia personalizada está crescendo e junto com ela, o espaço para pedidos excêntricos.

Por EJ DICKSON para Rolling Stone

Tradução: Monique Prada

Foto: arquivo pessoal de Allie Eve Knox

Allie Eve Knox, criadora de conteúdo adulto especializada em findom (dominação financeira, um fetiche específico relacionado a pagamentos), recebia muitos pedidos específicos: “Cócegas nas axilas. Humilhação nas axilas. Inversão fingindo ser minha advogada”, ela diz, listando-os. Alguém uma vez pediu a ela que atuasse como uma educadora para abusadores de substâncias malignas; outra pessoa a contratou para fazer um vídeo onde ela finge comprar ações da Tesla. E ainda na semana passada, ela fez um vídeo onde fingia fazer biscoitos de merda de cachorro. 

No entanto, um dos pedidos mais bizarros que recebeu veio de uma mulher que queria que ela humilhasse e fizesse seu ex-marido abusivo passar vergonha. “Uma mulher acabou de solicitar um vídeo personalizado meu para enviar a seu ex-marido, onde eu o fizesse se envergonhar por toda a merda que ele fez enquanto estavam juntos, e eu nunca antes me senti tão necessária em toda a minha vida,” ela escreveu em um tuíte que rapidamente viralizou. O vídeo resultante se enquadra no gênero ao qual ela se refere como “spite porn” (nota da tradução: algo como ”pornô de despeito” ou “despeitado”).

De acordo com Knox, a cliente a contatou perguntando se poderia encomendar um vídeo sobre seu ex-marido. A mulher “pensou que esta seria uma ótima maneira de fazê-lo ouvir que pessoa horrível ele é”, disse Knox. Como de costume, Knox perguntou o que ela queria no roteiro, e a ex esposa respondeu com uma lista de detalhes específicos: “Sua obsessão por pornô, seu narcisismo, sobre como ele é autocentrado.” Coisas que poderiam ser ditas para a maioria dos homens, “bem como outros hábitos ofensivos que a mulher compartilhou com ela de modo privado”. Knox gravou duas versões do vídeo: uma para esta mulher especificamente, e uma versão genérica que ela poderia disponibilizar para venda em suas páginas de vídeos.

O vídeo começa como um vídeo adulto qualquer, com Knox sendo sexy e provocadora. “Bom, olá,” ela diz coquete, suas pernas espalhadas pelo chão. “ Eu sei que esta é uma surpresa inesperada, mas alguém encomendou este vídeo especialmente para você.” O vídeo prossegue como um vídeo pornô convencional, com Knox gemendo e massageando os seios, por aproximadamente três minutos. “Agora que eu te deixei exatamente como eu queria, acho que vou compartilhar um pequeno segredo contigo, uma pequena surpresa que eu vinha guardando,” diz ela. “”Eu fiz amizade com sua ex mulher.” Ela solta uma gargalhada diabólica antes de disparar uma enxurrada de insultos direcionados ao filho da puta “estúpido, descuidado e egoísta” do ex-marido. É um vídeo hilário e, sinceramente, muito foda. 

O tuíte de Knox viralizou em grande parte por conta do quão inusitado foi o pedido: mesmo em uma indústria onde tudo acontece, ela disse nunca antes ter recebido um pedido de vídeo personalizado direcionado a um ex rejeitado. Mas está longe de ser incomum que trabalhadoras sexuais como Knox sirvam como uma tela em branco para que clientes demonstrem suas frustrações com um relacionamento fracassado, ou uma saída para que elas possam explodir com um ex sem risco de repercussões.

Jessie Sage, trabalhadora sexual e escritora, relata ter sido abordada na plataforma de sexo por telefone Niteflirt por um cliente que havia rompido com sua namorada meses antes e queria encerrar essa história. Juntos, os dois orquestraram um cenário onde Sage deveria ser a ex que encontrou com o cliente em uma festa, e ele pediu a ela que fossem para fora conversar. Eles entraram então numa disputa acirrada. “Eu me perdi tanto no que estava fazendo que o estava culpando por coisas que realmente estavam me enlouquecendo sobre a minha própria vida, e ele fazia o mesmo”, relembra. Após o cliente desligar na sua cara, ela o contatou para verificar se ele estava ok. Ele disse que estava, e que desligou por que “pareceu para ele uma maneira poderosa de terminar as coisas, nos seus termos”, ela conta. “E então, eu nunca mais ouvi falar dele novamente.” Sage diz que está longe de ser incomum que pessoas procurem trabalhadoras sexuais para compartilhar esse tipo de sentimento íntimo. “Não temos espaço para isso em nossa cultura, e conosco eles podem ser mais ou menos anônimos, e também se sentem menos constragidos em dizer o que querem,” ela diz. 

O aumento da oferta de conteúdo adulto em sites como o Customs4U e o IWantClips tem também dado aos usuários mais espaço para este tipo de pedido. O gênero explodiu durante a pandemia, diz Knox. “Estou gravando uma tonelada de vídeos personalizados todos os dias agora”, ela diz. “Penso que isso é uma verdadeira onda de pornô personalizado”.  Knox não tem certeza se a cliente realmente enviou o vídeo que ela fez para seu ex, mas mesmo que não o tenha feito, acredita que isso a ajudou a botar pra fora os seus demônios. E se ela o enviou, “esse filho da puta merece toda a vergonha que o fiz sentir.”

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *